Sucre, capital da Bolívia

Sim, Sucre é a capital constitucional da Bolívia e do departamento de Chuquisaca. La Paz é considerada a capital administrativa do país. A Bolívia possui, assim, duas capitais! No entanto, o mundo considera La Paz, onde está localizada a sede do governo.
 
Sucre é a quinta cidade mais populosa da Bolívia e está a 2.810 metros de altitude, sendo uma das mais altas da América do Sul. No centro histórico da cidade está grande parte do patrimônio boliviano. Em 1991, ele foi incluído no Patrimônio Mundial da Unesco. Milhares de turistas visitam a cidade todos os anos para conferir as construções do seu centro histórico, que datam dos séculos XVIII e XIX. Ande pela cidade e explore cada canto desses prédios únicos.
 
 
 
   Foto: Wendell Hennies
   El Mirador. La Recoleta.
    O mirador da cidade está na praça La Recoleta. A vista panorâmica de Sucre é atração imperdível do local, mas a fonte Peregrina (foto) e o Relógio do Sol também estão ali, no marco de Sucre.




   Foto Wendell Hennies.
   Passeio em Sucre. Detalhe para Chola atravessando a rua. Com saias rodadas, chale colorido, cabelo em trança longas e chapéu, as cholas são personagens típicas bolivianas e chamam atenção onde estiverem.

Serra do Rio do Rastro

Na Serra Catarinense, o clima, a fauna e a flora se tornaram atração turística diferenciada no Brasil. A Serra do Rio do Rastro, que fica quase 1500m acima do nível do mar, possui extensão total de aproximadamente 35 km; sua rodovia parte de Tubarão e segue até Lages com curvas sinuosas, que estão na maioria no município de Lauro Muller e no Mirante de Observação, em Bom Jardim da Serra. Apesar do mirante ser ponto turístico popular, ao longo da serra, as cachoeiras também viraram atração para os amantes da natureza.

A estrada da Serra do Rio do Rastro ficou mundialmente famosa por suas subidas íngremes e curvas bem fechadas, além de ser coberta pela mata Atlântica com uma fauna bem diversificada; os quatis são mais fáceis de encontrar pelo caminho, mas ainda tem pacas, mãos-peladas, tatus, tamanduás e iraras, que são animais comuns numa mata Atlântica preservada. 

Fotos Iliam Raña
    Quati





    Rio do Rastro.
    Restaurante no topo da serra.

   Serra do Rio do Rastro esculpida na pedra.

   Tropa na pedra da Serra do Rio do Rastro (SC)

Vale dos vinhos (Colchagua, Chile)

Vale do Colchagua


Conhecer a principal região de vinhos no Chile é sair do roteiro comum. Siga até Santa Cruz, cerca de 140 km de Santiago e, de lá, conheça as dezenas de vinícolas da região. Os vinhedos centenários estão por ali. Essa rota do vinho surgiu em 1996 e consagrou os Carménère e Carbernet chilenos. Segundo a secretaria de turismo, em 2005, o Vale do Colchaga foi eleita a melhor região do vinho do planeta. Exagero? Vinícolas de produção artesanal, familiares, oferta hoteleira e gastronômica que completam uma viagem.  


Se você se hospedar na cidade de Santa Cruz vai fugir dos preços mais caros das vinícolas; há vários hostal aconchegantes. Já os passeios, no centro da cidade, inclui o Museu do Colchanga que proporciona ao turista conhecer, entre outros temas, a história do Chile.






Qualquer estrada que sai de Santa Cruz vai te levar a uma vinícola. É vinhedo por todos os lados. Em geral, as vinícolas têm tour para turistas, atrações específicas - como trekking e piquenique, além de lojinhas para vender os vinhos - que saem por preços semelhantes ao dos supermercados. 


Na região do Lolol, 20 km de Santa Cruz,  a vinícola que la o nome da cidade tem até um teleférico para agradar aos turistas.


A vinícola de Santa Cruz (acima) organiza desde caminhadas até passeios de bicicletas para turistas, além do passeio obrigatório na produção, parreiras e toneis de carvalho.


Para conhecer a bela e rústica Viña Neyen é preciso agendar horário. No entanto, nada impede que você conheça as instalações que misturam modernidade e vinhedos do século XIX; é considerada a mais antiga da região de Apalta.



Parreiras do século XIX e um vinho premiado, qualificado como o melhor da região desde 1996.

Haja estrada e uva. Acima, vinhedos de Neyen.

Las Niñas possui arquitetura moderna.




Logo de entrada o Vinhedo Montes (abaixo) deslumbra pela arquitetura inspirada no Feng Shui. A produção do vinho é cuidadosa, o que ajuda a divulgar seus vinhos como elegantes e finos. Vale a pena conhecer as instalações e comprar um vinho na própria loja da vinícola; assim, você vai passar pela produção - com seu enorme barril de carvalho; e um cenário típico para turísta - as salas de barris.




                            
Produção da Viña Montes; além do hotel, o local oferece caminhada e restaurante para os turistas.


Veja: Hostal Casa Familia

Santiago (CL)

Uma boa maneira de conhecer uma cidade grande, como Santiago, capital do Chile, é pegar o ônibus turístico e dar uma olhada geral pelos principais pontos históricos, observar o trânsito - principalmente se você pretende alugar um carro, ouvindo a história da cidade. A capital chilena tem um Metrô que cobre bem toda cidade; mais de cem estações e muito fácil de se locomover.  Escolha bem a época que vai visitar a cidade, pois a poluição é forte por lá; o clima muito seco nas estações mais frias também exige cuidados especiais -  beba bastante água!

O bairro Providencia é uma região de comércio e bons restaurantes.


   A região El Golf foi apelidada de Sanhattan, já que se tornou a zona financeira da cidade. 

O teatro Las Condes pode exibir até três espetáculos ao mesmo tempo; os chilenos se orgulham das instalações tecnológicas do local.

 Museu Nacional de Belas Artes, um dos mais antigos da América Latina.


A feira de artesanato em Santa Lucia. A região é um dos principais pontos culturais de Santiago.

Palácio do Governo La Moneda, sede da presidência. Cenário marcante do Golpe Militar no Chile.

  

A Plaza de Armas está repleta de prédios históricos.






Colina de São Cristóvão (Chile)

A Colina de São Cristóvão faz parte de um dos maiores parques urbanos do mundo, com mais de 700 hectares, proporcionando ótima vista de Santiago, capital do Chile. O funicular é a melhor forma de se chegar ao cume, onde a altitude supera 8 mil metros e a imagem da Virgem Maria consagra o ambiente de harmonia do Santuário da Imaculada Conceição. O zoológico nacional fica lá e é uma ótima opção de passeio para a criançada. O parque fica bem próximo da estação de metro Baquedano.


    Entrada do Parque


    Santiago

    Santuário da Imaculada Conceição






    Cordilheira dos Andes vista da Colina de São Cristóvão

Zooparque em Itatiba, SP


Um bom passeio no fim de semana é visitar o Zooparque Itatiba, que abriga mais de mil animais, cerca de 180 espécies diferentes, em 500 mil metros quadrados - considerado o maior zoológico particular do Brasil. O local ficou conhecido como o "Paraíso das Aves", pois sua trilha era uma viagem inesquecível entre belos pássaros; aliás, ainda é a grande atração do local. No entanto, após uma reformulação, o conceito naturalista trouxe áreas que procuram reproduzir mais o habitat natural de outros animais, tanto do pantanal quanto da savana africana. O passeio é ótima opção, principalmente para os pequenos, pois o parque proporciona atividades educacionais e procura mobilizar a família toda para conservação da fauna e flora.


Na área das aves, procure o pica-pau cabeça vermelha; ele parece sempre atento aos visitantes





Lindo tucano, de causar inveja entre as aves a harpia, arara azul, arara juba, casuar de capacete, calao rinoceronte, coruja murucututu, etc...



Acima um tuiuiu do zooparque

Macaco aranha de cara vermelha

    A bela arara tropical

   Corujona


    Lêmure de Madagascar



   Jaguatirica



   Tigre de bengala



   
   Deste tamanh0 e ainda elegante, só podia ser dona girafa!


  O rinoceronte branco cheio de lama para se refrescar!


Serviço: Zooparque Itatiba